Thursday, September 02, 2004

Afinal os atentados não são só terroristas...

Há dias que temos visto nos jornais a existência de um rapto no Iraque. Mais um, mas este despertou-me especial atenção. Esta foi a primeira notícia que consegui recolher sobre o facto:

"[...] A Al-Jazeera anunciou ontem à noite que dois jornalistas franceses, Christian Cheston (da Rádio France Internacionale) e Georges Malbrunot (do Le Figaro ), foram raptados pelo Exército Islâmico do Iraque - responsável pela morte do jornalista italiano. O grupo reclama a anulação da lei sobre o véu islâmico em França no prazo de 48 horas. [...]"

in Diário de Notícias


Ora de facto este acto é muitíssimo condenável. Toda a gente o condenou, até o próprio porta-voz muçulmano desta questão em França, condenou o acto e pediu a libertação dos jornalistas alegando que tudo está a ser feito para que esta questão seja resolvida. O governo francês pediu a libertação dos prisioneiros e fez os possíveis para que tal ocorra. Parece que sempre os vão libertar.

Agora surge a questão: Não serão os dois intervenientes, os raptores e a República Francesa, ambos uns terroristas? E passo a explicar-me.

  • O acto dos raptores julgo dispensa explicação. É um acto condenável o de raptar duas pessoas inocentes e dizer que as matam se uma lei não for revogada. Nos tempos que correm não é o caminho a percorrer. Somos seres inteligentes e falantes, portanto dialoguemos sobre a questão.

  • Fiquei espantado quando a ública Francesa anunciou esta lei (aliás, lembro-me até que tive uma acesa discussão com a minha mãe acerca deste assunto). Num país dito livre criam uma lei que proibe o simples facto de as pessoas utilizarem símbolos religiosos em escolas? Claro que destacou-se imediatamente o islamismo, pelo facto de ser uma cultura cada que cada vez mais emergente na sociedade francesa e pelo facto de as mulheres usarem um lenço, uma tradição bastante remota do islamismo.
    Como pudemos comprovar houve várias interpretações da lei, entre elas que a dita cuja só afectava o islamismo. Explicações que ouvi levam-me sempre à mesma conclusão: uniformizar uma sociedade. Em termos do quê? Julgo que só aspecto. E esqueçem-se que ao tentarem isto estão a cortar duas liberdades importante num país democrático, a liberdade de opção e a liberdade de expressão . Ora isso é ridículo num dos países mais evoluídos da Europa.

Nunca me senti afectado por um colega meu ter ideias diferentes e as expressar, assim como ter outro credo e o expressar. Julgo que tal também não ocorre em França. Sendo assim, o que se passa?
Espero que a situação dos jonalistas seja rapidamente resolvida, assim como espero que esta lei seja efectivamente revogada pelo rídiculo representa.

3 Comments:

Blogger Mãozinhas said...

Concordo plenamente contigo em relação à revogaçao da lei francesa. Onde está a Igualité, Fraternité e Liberté ?!
Mas o mais ridiculo é que na troca de grupos islamicos eles já nem querem saber das tradições islamicas eles agora querem é 5 mil milhões de euros...;O !!!!!!!!!!!
A Polegar ;)

08 September, 2004 01:45  
Blogger jorge miguel miranda said...

Acerca de uniformizar a sociedade, aí vai mais uma acha para a fogueira: neste momento já somos mais cidadãos do mundo do que proprimamente de um país e não existe mal algum em alguém afirmar as suas origens, sejam elas quais forem.

08 September, 2004 12:42  
Anonymous Hotaskim said...

Amen!!

10 January, 2008 01:30  

Post a Comment

<< Home